A CIDADE DE IBIUNA - Pousada Passaredo Montanha | Hotel Ibiuna

Tarifario Pousada Ibiuna
Ir para o conteúdo

A CIDADE DE IBIUNA

Etimologia

O nome da cidade vem da língua tupi e significa "terra preta", através da junção das palavras yby ("terra") e un ("preta").


Estância Turística

Ver artigo principal: Estância turística (São Paulo)
Ibiúna é um dos 29 municípios paulistas considerados "estâncias turísticas" pelo estado de São Paulo, por cumprirem determinados pré-requisitos definidos por lei estadual. Tal status garante a esses municípios uma verba maior por parte do estado para a promoção do turismo regional. O município também adquire o direito de agregar, junto a seu nome, o título de "estância turística", termo pelo qual passa a ser designado tanto pelo expediente municipal oficial quanto pelas referências estaduais.

Ibiúna

Ibiúna é um município brasileiro do estado de São Paulo. Localiza-se a uma latitude 23º39'23" sul e a uma longitude 47º13'21" oeste, estando a uma altitude de 996 metros. Sua população estimada em 2010 era de 71.217 habitantes.


Dos 1093 Km2 de Ibiúna, apenas de 10% podem ser considerados de zona urbana. O restante corresponde à área rural onde é desenvolvida a agricultura e a pecuária de pequenos produtores rurais, a base da economia do município, sendo que, a maior parte de nosso território corresponde a áreas de preservação ambiental, a maior reserva da Mata Atlântica ainda existe no Estado e, outros vários ecossistemas como: áreas florestas elevadas, matas ciliares, áreas de vargens, campos e capoeiras, que estão exibidos em nosso roteiros de ecoturismo.
A superabundância de samambaias, trepadeiras, bromélias e orquídeas que se sobrepõem nos troncos de cambucis, canelas, cedros e figueiras, contrastando com famoso palmito juçara, xaxins e guaricangas. Os ipês têm floração amarela e as quaresmeiras totalmente roxas, enquanto os manacás dão flores que nascem brancas, tornam-se rosadas, depois lilases, para morrerem arroxeadas. Conforme a estação do ano é possível encontrar frutos como cambuci, araçá, gabiroba, pitanga e figo mata pau. Como exemplares da fauna nativa destacam-se os esquilos, sagüis, bugios, tatus, cotias, pacas, antas, veados, capivaras, quatis, castores, lagartos, cobras, sapos e aves de solo - macucos, nhambus e urus. O canto de sabiás, beija-flores e tiés unem-se à algazarra de saíras, periquitos, maritacas, arapongas, tucanos, gaviões, joões-de-barro e borboletas e, as aves das vargens – garças, marrecas, frango D’águas, irerês, biguás, jaçanãs e socós.
Toda essa fauna e flora são recortadas por rios de águas cristalinas, que compõem a maior reserva de água doce superficial do Estado, que alterna em trechos de rápida correnteza e cachoeiras com tranqüilas piscinas naturais, áreas de vargens e, importantes represas – Cachoeira da França, da Fumaça Jurupará e Itupararanga.
 
Pontos Turísticos
Represa de Itupararanga – Formada pela junção dos rios Sorocamirim, Sorocabuçú e Una (Rio Sorocaba), possui uma extensão aproximada de 40 km, excelente à prática de esportes aquáticos. Com diversos pontos de lazer em suas margens, como: a praínha do piratuba, a praínha do campo verde, diversos restaurantes, chácaras de recreio, marinas, pousadas, loteamentos... Hoje esta sob Área de Preservação Ambiental – APA, onde está em formatação um circuito turístico regional com o mesmo nome, com a participação de 08 municípios que tem essa represa como atrativo comum.


 
Parque Estadual do Jurupará - O mundo inteiro reconhece a importância dos 26 mil hectares do Parque Estadual Jurupará, dos quais 95% estão situados no município de Ibiúna. Considerado pela Organização das Nações Unidas (ONU) como reserva da biosfera, através da Unesco, é um dos maiores potenciais onde se podem aportar empreendimentos turísticos de vulto, sobretudo projeto de eco-turismo. O Parque é considerado como, unidade de conservação e administrado pelo Instituto Florestal.
 



Laje do Descalvado - A 1200 m de altitude, localizada no Parque Jurupará, bairro da Colina, a 45 Km do centro de Ibiúna, segue pela estrada da Vargem até o final do asfalto , seguindo por estrada de terra para o Bairro do Campestre até encontrar o posto da Guarda na entrada do Parque, é necessário se identificar e solicitar autorização para entrada, segue para o Bairro da Colina, mais ou menos 2km até encontrar uma entrada a esquerda, seguindo por pouco mais de 1km para chegar na laje, onde se tem uma visão de 360º de toda a região.


 
Cachoeira da Norma - Linda Cachoeira localizada no Parque Jurupará, (Ribeirão Grande) bairro da Colina, a 45 Km do centro de Ibiúna, segue pela estrada da Vargem até o final do asfalto , seguindo por estrada de terra para o Bairro do Campestre até encontrar o posto da Guarda na entrada do Parque, é necessário se identificar e solicitar autorização para entrada, seguindo por mais 6 km até a cachoeira, nesse trecho é necessário veículo off-road (4x4). Aproveite para conhecer a Laje do Descalvado.


 
Praínha do Piratuba - Localizada nas margens da represa Itupararanga, numa distância de 24 km do centro da cidade, pela Rod. Bunjiro Nakao, até o km 85 (Entrada de acesso ao bairro do Piratuba), seguindo até o loteamento Antilhas I. Muito Freqüentado por turistas, o local proporciona a prática de esportes aquáticos.


 
Praínha do Escritório - Distância de 8 km do centro da cidade, indo pela estrada do bairro da cachoeira. Local possui esse nome, “Escritório” por ter sido no passado, instalações da Comp. Elétrica Light. Hoje não se pode ter acesso por terra, por ter sido vendidas terra das margens.


 
Cachoeira do Vargedo - Distância de 40 km do centro da cidade, pela Estrada Vicinal do Murundu – Estr. Presidente Tancredo Neves, depois segue por estrada de terra para o Bairro do Vargedo. Possui várias quedas d'águas.
 


 
Fonte: www.ibiuna.sp.gov.br
 

História

A cidade foi colonizada por portugueses, espanhóis, italianos, japoneses e árabes. Surgiu a partir de uma fazenda que tinha como ponto central uma capela onde hoje se encontra a Igreja Matriz de Nossa Senhora das Dores.
Foi sede, em 1968, do XXX Congresso da União Nacional dos Estudantes,7 que resultou na prisão de 920 estudantes.
Geografia

Distritos existentes: Carmo Messias e Paruru (Lei Municipal Número 401, de 1997) O município de Ibiúna se localiza na bacia fisiográfica do Paranapiacaba, apresentando, a sede municipal, as seguintes coordenadas geográficas: latitude S.23'39'20' - longitude W.Gr.47'13'31' e distante em linha reta da capital do estado em 63 km. A localização geográfica do município de Ibiúna é a região sudeste do estado de São Paulo, nas encostas da Serra do Paranapiacaba.

Topografia

A topografia do município é bastante variável, uma vez que esta se localiza nas encostas da serra do Paranapiacaba, normalmente ondulada, acidentada e montanhosa. A maioria das terras possuem declividade superior a doze por cento, podendo atingir cem por cento nas regiões mais altas. Por esta razão, a maior parte da agricultura local é desenvolvida nas terras de encostas e meia encosta, devido à ausência generalizada de planícies. Possui 62,9 por cento da Represa de Itupararanga em suas terras.

Clima

O clima de Ibiúna é o subtropical, com verões amenos chuvosos e invernos amenos e sub-secos, tendo temperatura média anual em torno de dezessete graus centígrados, sendo o mês mais frio julho, com média de treze graus centígrados e o mês mais quente fevereiro, com média de 22 graus centígrados. A precipitação média anual gira em torno de 1 400 milímetros. Geadas ocorrem durante todo o outono e inverno, quando existem influências das massas de ar polares que afetam a região nesta época do ano. Ibiúna é considerada como uma das cidades mais frias da região onde se localiza, segundo o senso comum.

Ibiuna / SP -

Telefones: (19) 3875-3480 . 3875-3949

Voltar para o conteúdo